Características Gerais

Padrão FCI n. 335
Grupo n. 2, Pinscher, Schnauzer, Molossos e Boiadeiros Suiços
Tamanho grande; a altura máxima não é especificada no padrão; M-mínimo 65 cm; F-mínimo 60 cm
Peso 37 a 50 Kg
Pelagem Variedade Pêlo Curto-curta; Variedade Pêlo Longo-longa
Agressividade alta (controlável)
Aptidão pastor e guarda
Atividade
Espontânea
média
Área para criação grande
País de Origem Rússia

 

Clique para ver

 
Sredneasiatskaia Ovtcharka

O Pastor da Ásia Central é classificado na FCI (Federação Cinológica Internacional) como um cão Russo, já que a antiga União Soviética ocupava uma grande parte do habitat desses molossos quando a raça foi reconhecida.
Esses cães podiam ser encontrados desde as montanhas Urais, na Rússia, à leste da Sibéria e por várias Repúblicas da Ásia Central como o Turcomenistão, Uzbequistão, Quirguistão, Tadjiquistão, Casaquistão e Afeganistão.

Ele recebe diferentes denominações nos vários países da área.
No Tadjiquistão seu nome é "Alach". "Dakhmarda & Koyuntchi" no Uzbequistão, "Sarkandjik" no Afeganistão, e assim por diante, com dezenas de nomes.
Esses cães são conhecidos desde a Idade Média em todos seus diferentes tipos e sub-espécies. Hoje existe um questionamento se a classificação de todos esses tipos como uma só raça é correta. Seria mais ou menos como classificar as diferentes raças de spitz da Escandinávia (10 no total), com o nome de "Spitz Escandinavo".
M.B. Wynn escreveu sobre os Molossos da Ásia Central já em 1886 em seu livro "A História dos Mastifes" e os descreve como Mastifes Asiáticos (de uma maneira genérica) e comenta as diferenças existentes entre os vários tipos.

Hoje, muitos defendem a idéia de separar as várias sub-espécies em raças distintas. No Turcomenistão, por exemplo, cinófilos já redigiram seu próprio standard para a variedade local, o "Alabai", e espera-se que as outras repúblicas adotem medidas semelhantes.
A raça, que foi criada pelo canil estatal, por muito tempo era usada pela polícia e exército e costumava também guardar fábricas, usinas e outros estabelecimentos com grandes áreas. Por centenas de anos, eles foram usados pelos pastores para proteger o rebanho contra lobos, leopardos, ursos e até mesmo tigres, que em certa época não eram raros na região. Hoje ainda são muito usados como cães de guarda e guardiões dos rebanhos nas fazendas.

O Pastor da Ásia Central é um cão muito protetor e amigável com os membros da família, são facilmente controlados com comando de voz e aprendem rápido. Eles não latem sem razão, são muito territoriais e não costumam vagar ao longe. Existem linhagens muito agressivas que não são vendidos e nem usados na reprodução exceto por seus próprios donos, geralmente magnatas locais.

A pelagem pode ser curta ou longa, sendo que nas duas variedades, o pêlo é reto, moderadamente duro, com subpêlo denso e lanoso.

Pêlo Curto - 3 a 4 cm de comprimento.
Pêlo Longo - 7 a 8 cm de comprimento

A cor pode ser qualquer uma com ou sem marcações, ou ainda a mistura entre elas.

Na aparência geral o Pastor da Ásia Central é um cão de grande porte, robusto, um típico molosso, com cabeça grande, massiva, com focinho largo e lábios pesados e ligeiramente caídos. Historicamente as orelhas são cortadas curtas e de forma a ficarem arredondadas. A cauda também é cortada curta e em sua terra natal a não amputação é considerada como falta.

 


Voltar

 


Clique aqui.


Para retornar na sua pesquisa, clique no botão do seu Browser!